Tags : fernando pessoa

  • avatar

    Citações #3

    O Informador, em oinformador25/04/2017 às 14:29

    Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter;  repugna-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é desumano, porque o humano é imperfeito. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego  

    Ler mais
  • avatar

    Tabacaria

    Rita PN, em contame-historias17/04/2017 às 11:52

    Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo. Janelas do meu quarto, Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é (E se soubessem quem é, o que saberiam?), Dais para o mistério de uma rua (...)

    Ler mais
  • avatar

    #2274 - TABACARIA

    \foleirices, em foleirices10/04/2017 às 18:13

      Tabacaria (Fernando Pessoa)   Não sou nada. Nunca serei nada. Não posso querer ser nada. À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo.   Janelas do meu quarto, Do meu quarto de um dos milhões do mundo que ninguém sabe quem é (E se soubessem quem é, o que (...)

    Ler mais
  • avatar

    Poetizando...

    Filipe Vaz Correia, em canecadeletras07/04/2017 às 19:52

      E se Pessoa pudesse voltar; E cantasse Vinicius para começar, E trocasse Vinicius o escrevinhar, Pela cozinha molecular, Tendo Drummond a o ajudar, Simplesmente a confeccionar, Uma feijoada como manjar, E ao fundo Camões a trautear, Uma canção de encantar, Em cada letra um (...)

    Ler mais
  • avatar

    A ideia da perfeição

    Maria Mocha, em mariamocha04/04/2017 às 22:15

      Ainda no seguimento do assunto de ontem, abordado aqui , lembrei-me do Livro do Desassossego , onde Fernando Pessoa disse: “Adoramos a perfeição, porque não a podemos ter; repugna-la-íamos se a tivéssemos. O perfeito é o desumano porque o humano é imperfeito”.    (...)

    Ler mais
  • avatar

    Chove muito, mais, sempre mais...

    beatriz j a, em edicoespqp26/03/2017 às 18:59

        Chove muito, mais, sempre mais... Há como que uma […] que vai desabar no exterior negro... Todo o amontoado irregular e montanhoso da cidade parece-me hoje uma planície, uma planície de chuva. Por onde quer que alongue os olhos tudo é cor de chuva, negro pálido. Tenho (...)

    Ler mais