Segunda-feira, 31 de Maio de 2010
Bairro Melancómico
31 Maio, 2010

Primeira parte do primeiro episódio do Bairro Melancómico, onde não por acaso vive o nosso provedor.

Tags:
publicado por Ler às 11:08
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
«One book, one Twitter»
31 Maio, 2010

O clube de leitura criado por Jeff Howe, professor da Universidade de Harvard e editor da revista Wired, analisado hoje no El País

Tags:
publicado por Ler às 11:03
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Uma invocação iglantónica de Dinis Machado
31 Maio, 2010

Sessão evocativa dos 80 anos de nascimento de Dinis Machado, com Anabela Mota Ribeiro, António Feio, António Jorge Gonçalves, José Pedro Gomes, José Xavier Ezequiel, Maria da Piedade Ferreira e Nuno Artur Silva. Hoje, a partir das 18h30, no Auditório Maestro Frederico de Freitas, em Lisboa.

 

«Let’s get out of here», dizia ele, era a frase que mais se ouvia nos filmes americanos. Ele, o Dinis Machado, foi meu colega de trabalho e meu amigo – meu amigo ainda é – durante mais de 10 anos.

Conheci-o na Íbis, uma editora que ficava algures na Venda Nova, e onde ele era editor da revista Tintin e de livros policiais e de cowboys, nos idos de 68. Eu passei a traduzir in­ve­rosímeis livros onde o herói às vezes morria na página 20 para ressuscitar na página 53 e foi assim que entrei, pela ­porta das traseiras e pela mão do Dinis Machado, no mundo da edição. Foi também nessa colecção, com um pseudónimo «ameri­cano», que ele publicou a trilogia policial que agora ­é reeditada pela Assírio e Alvim.

Mais tarde partilhámos a mesma sala durante muitos anos sem eu saber que para além dos seus múltiplos interesses, que iam da literatura e do cinema, de preferência americano, à Volta a Portugal em Bicicleta, que acompanhara muitas ­vezes enquanto jornalista, ou ao futebol, ele estava a escrever um livro, de que nunca falava e que mais tarde me mostrou para saber a minha opinião. Era O Que Diz Molero e foi um choque. Um choque primeiro para mim, quando o li, e depois para o Dinis Machado, quando o sucesso lhe desabou em cima.

Tudo começou com um artigo do Luís Pacheco e a partir daí foi uma onda que não parava de crescer. O Dinis Machado foi, nessa altura, e com razão, um homem feliz. Ainda hoje O Que Diz Molero é lido por novas gerações e eu, que o reli há pouco, não lhe encontrei nem uma ruga de idade.
Mas falando ainda do Dinis Machado que então conheci, era um homem discreto, grande fumador, dado a raras mas tempestuosas fúrias, que passavam depressa, mas também a uma grande ternura pelas pessoas de quem gostava, especialmente a mulher e a filha e os amigos que vinham já da infância no Bairro Alto e que ele conservava. Era um admirador incondicional do Citizen Kane, que conhecia pormenorizadamente, de Orson Welles ou de James Cagney, dos filmes ­negros dos anos 40 e 50, e era capaz de falar deles entusias­ticamente. Numa época em que a minha geração se interessava par­ticularmente pela literatura e pelos filmes franceses, ele mantinha-se fiel às suas paixões de sempre.

Aprendi muito com ele e recordo com muita saudade os tempos em que convivíamos diariamente, os mais felizes ­como os mais difíceis, os do sucesso e os da ressaca do sucesso.

Um beijo amigo, Dinis Machado e let’s get out of here!

[Texto de Maria da Piedade Ferreira publicado em Setembro de 2008 (LER nº72)]

publicado por Ler às 10:53
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Sexta-feira, 28 de Maio de 2010
Algumas obras a ler
28 Maio, 2010

Colecção reunida por Eric Fabre em exposição de 31 de Maio a 22 de Agosto, no Museu Berardo, em Lisboa.

publicado por Ler às 15:25
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Proposta de Gabriela Canavilhas sobre doações de livros aprovada pelo Conselho de Ministros
28 Maio, 2010

«A tributação de IVA era uma das principais razões para a destruição de livros, findo o seu interesse comercial. Esta proposta visa encontrar um destino útil para estes livros», Pedro Silva Pereira, ministro da Presidência. Notícia desenvolvida no Público.

publicado por Ler às 10:51
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Leitura Furiosa até domingo
28 Maio, 2010

Um bom remédio para quem anda zangado com a leitura. Toda a história aqui e aqui.

publicado por Ler às 10:46
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 27 de Maio de 2010
Cleonice Berardinelli na Casa Fernando Pessoa
27 Maio, 2010

Aos 93 anos, a maior especialista brasileira em literatura portuguesa, eleita em Dezembro para a Academia Brasileira de Letras, regressou a Lisboa para falar de Camões e Pessoa. Hoje estará na Casa Fernando Pessoa, às 18h30. Entrada livre.

Tags:
publicado por Ler às 12:37
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Casas Kitadas
27 Maio, 2010

Hoje, a partir das 22h, mais uma sessão de Quintas de Leitura, no Teatro do Campo Alegre (Porto), com o geógrafo Álvaro Domingues, autor do desconcertante A Rua da Estrada (Dafne), a cantora lírica Mónica Lacerda Pais, e Alexandre O'Neill através de Nuno Moura e Paulo Condessa.


Menino e moço me levavam de casa nas férias grandes para, na companhia do meu flutuante agregado familiar, percorrer o país real num Nissan Sunny. O dito agregado familiar servia-se de dois tipos de exercício lúdico para promover o convívio competitivo e decidir quem pagaria cafés e portagens (o acto de pagar era essencialmente simbólico): o primeiro tipo de exercício lúdico consistia em produzir anagramas a partir dos nomes das terras que íamos atravessando, com glória eterna para quem conseguisse transformar «Freixo de Espada à Cinta» numa «atrocidade apenas fixe». O segundo exercício era mais difícil de explicar a estranhos: implicava apontar coisas que, por sermos passageiros de um automóvel a percorrer uma estrada, não devíamos estar a ver. Havia bastante latitude interpretativa, mas a maioria dos pontos eram ganhos através de involuntárias invasões de privacidade – janelas desprotegidas, retretes em quintais, etc. –; outros através do avistamento de idiossincrasias arquitectónicas: anexos grotescos, gárgulas impróprias, bricolages marcianas. O geógrafo Álvaro Domingues escreveu um livro que lhe teria garantido, ao abrigo dos regulamentos familiares, cafés e portagens pagas pelo menos até Vladivostoque.
A Rua da Estrada (ed. Dafne), um misto de antropologia do espaço e comédia de observação, é a fotobiografia não autorizada de uma população que vive e trabalha em sítios que apenas deviam servir para ir a outros sítios. Uma paisagem híbrida – entre campo e cidade, entre rota e residência – que implica uma (vagamente sugerida no texto) noção pós-estruturalista de «Morte do Autor»; num território onde as entidades responsáveis por forma, função e significado parecem ter sido massacradas num acto de planeamentocídio, as coisas vão surgindo como resposta a necessidades e emergências localizadas, à custa do muito peculiar engenho aborígene para o tuning urbanístico.
Na Rua da Estrada encontramos a glossolalia desorientadora das instalações de tabuletas, colocadas em pontos instratégicos de onde se pode chegar ao Porto, a Paços de Ferreira, ao ecocentro, à GNR, e à Fotocine Barbosa. Encontramos os novelos de fios eléctricos a pairar sobre telhados. Encontramos banheiras verticais e plintos encimados por pneus. Encontramos degraus que descem para traços contínuos e escadotes que sobem para lado nenhum. Encontramos réplicas involuntárias dos embrulhos de Christo e variações sobre os artefactos gigantes de Claes Oldenburg. Encontramos os «edifícios-rótulo», as «montras voadoras», as «casas com próteses», as «casas com piercings», as «maquetas vernaculares», os «castelos eléctricos», as «capelas do gás», os «restaurantes-cemitério» e a Residencial Bolinhos de Amor.
Muitos diagnósticos semelhantes resumem-se a diatribes sobranceiras e intransigentes, cujo único interesse no tema parece ser o facto de este servir como sinal de folia política, logística ou intelectual. Mas nota-se em Álvaro Domingues não o instinto da denúncia, mas um apreço furtivo pela forma como o caos encontra os seus próprios padrões, por entre a Babel de ordenamentos municipais e projectos institucionais, e um humor elástico, capaz de sobrepor à imagem de um friso inexplicável de tanques de lavar roupa uma pequena ostentação bibliográfica (que vai, já agora, de Deleuze e Lyotard aos Xutos e Pontapés).

Não podia ter acontecido melhor livro ao espectacular país que o inspirou. Rogério Casanova

[Texto publicado na edição nº90 da LER]

publicado por Ler às 12:11
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Hay-on-Wye
27 Maio, 2010

Começa hoje o festival. Em 2009, Rogério Casanova passou uns dias nesta vila do País de Gales e escreveu sobre o delicado assunto nas páginas da LER (versão em pdf).

Tags:
publicado por Ler às 11:38
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Antonio Tabucchi na FLIP
27 Maio, 2010

O escritor italiano é a mais recente confirmação da Festa Literária Internacional de Paraty (4 a 8 de Agosto), onde lançará O Tempo Envelhece Depressa (Cosac Naify).

Tags:
publicado por Ler às 11:34
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Planeta em vários canais
27 Maio, 2010

A partir desta morada.

publicado por Ler às 10:03
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 26 de Maio de 2010
Wodehouse Prize para Ian McEwan
26 Maio, 2010

O Bollinger Everyman Wodehouse Prize for Comic Fiction, que distingue a livro que melhor reflecte o «espírito cómico» de P.G. Wodehouse, foi atribuído a Solar, editado em Portugal pela Gradiva.

publicado por Ler às 15:23
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
O imaginário de Alfredo Saramago
26 Maio, 2010

O imaginário é como um museu de imagens, sejam elas passadas, possíveis, já realizadas ou a realizar e pode manifestar-se em todas as ocasiões, seja nos sonhos, nos delírios, nas visões ou mesmo nas alucinações. O homem não pode viver sem imaginário, sem o prazer do imaginário porque ele é, antes de tudo, um antídoto do medo, principalmente do medo da morte porque, felizmente ou infelizmente, o homem é o único animal a ter consciência dela.

Alfredo Saramago nasceu e morreu em Maio (1938-2008). A Assírio & Alvim recorda-o desta vez através do texto «O Prazer do Imaginário».

publicado por Ler às 12:48
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Aí está, um século depois
26 Maio, 2010

O primeiro volume da autobiografia de Mark Twain será publicado em Novembro pela Universidade da Califórnia, fiel depositária de 5000 páginas de memórias do escritor norte-americano. A ordem, neste caso, foi cumprida: Twain pediu que os seus manuscritos apenas fossem revelados um século após a sua morte.

publicado por Ler às 12:09
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
A literatura infantil deve ser subsidiada
26 Maio, 2010

Miguel Sousa Tavares, hoje, a propósito do seu novo livro, Ismael e Chopin (Oficina do Livro), com ilustrações de Fernanda Fragateiro.

publicado por Ler às 11:17
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Manuel Teixeira Gomes
26 Maio, 2010

Completam-se amanhã 150 anos do nascimento do autor de Agosto Azul, Sabina Freire ou Maria Adelaide. O programa das comemorações prossegue até ao final de 2010.

publicado por Ler às 11:04
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Feira do Livro de Madrid
26 Maio, 2010

O El País prepara programação para a Feira do Livro de Madrid, que começa esta semana, com cobertura assegurada no blogue Papeles Perdidos.

publicado por Ler às 10:40
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Os mais antigos jornais republicanos em linha
26 Maio, 2010

A Alvorada, É Tarde, O Regenerador, O Republicano, A Fraternidade, etc.

Tags:
publicado por Ler às 10:31
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Junot Díaz no comité dos Pulitzer
26 Maio, 2010

O autor de A Breve e Assombrosa Vida de Oscar Wao (Porto Editora) acaba de ser eleito para o Pulitzer Prize Board.

publicado por Ler às 09:55
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 25 de Maio de 2010
Eugénio Lisboa
25 Maio, 2010

Eduardo Pitta assinala os 80 anos de Eugénio Lisboa com uma crónica publicada nas páginas da LER.

publicado por Ler às 10:33
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Depois de idas e voltas, a certeza oficial: a Feira do Livro do Porto será nos Aliados
25 Maio, 2010

«A 80.ª Feira do Livro do Porto abre ao público no próximo dia 1 de Junho na Avenida dos Aliados, com horário alargado, e prolongando-se até 20 de Junho, o domingo que antecede o S. João.
Na sequência de contactos telefónicos entre a APEL e a Câmara do Porto, as duas instituições ultrapassaram as dificuldades existentes e clarificaram a coordenação das diversas iniciativas planeadas para a Avenida dos Aliados, de forma a permitir uma gestão harmoniosa de eventos, sem pôr em causa o protocolo celebrado o ano passado entre o Município e a APEL para a realização da Feira do Livro na Baixa da Cidade.
Encerrada à meia-noite de ontem a edição de Lisboa, os trabalhos de montagem da Feira do Livro do Porto começam hoje mesmo, e prosseguem ao longo da semana, de forma a que o evento seja inaugurado no primeiro dia do mês das Festas da Cidade, enriquecendo assim o intenso programa de animação da Baixa.
Assim, durante praticamente três semanas a Avenida dos Aliados poderá voltar a conjugar de uma forma particularmente feliz a cultura e a actividade económica, em torno da grande festa do livro que é a sua própria feira.
Recorde-se que no ano passado, estreia do regresso da Feira do Livro à Baixa, o evento foi maciçamente reconhecido como um enorme sucesso, mobilizando muitas dezenas de milhares de visitantes e compradores.»

Comunicado conjunto de Rui Rio (presidente da Câmara Municipal do Porto) e de Paulo Teixeira Pinto (presidente da APEL).

publicado por Ler às 10:28
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quinta-feira, 20 de Maio de 2010
Robert Laffont [1916-2010]
20 Maio, 2010

O «avô da edição» francesa desapareceu aos 93 anos.

publicado por Ler às 15:20
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Lost Booker Prize para JG Farrell
20 Maio, 2010

O melhor romance de 1970 é, dizem-nos agora, Troubles.

Tags:
publicado por Ler às 15:03
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Nós e os Clássicos
20 Maio, 2010

A comunidade de leitura «Nós e os Clássicos» continua hoje com a ensaísta Ana Maria Almeida Martins e Causas da Decadência dos Povos Peninsulares (Antero de Quental). Moderação de Filipa Melo, a partir das 19h, no Almedina Atrium, em Lisboa.

publicado por Ler às 10:35
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Quarta-feira, 19 de Maio de 2010
Última hora: Feira do Livro do Porto em Gaia
19 Maio, 2010

Segundo o Blogtailors a Feira do Livro do Porto pode realizar-se em Vila Nova de Gaia e não no Porto, depois de a APEL e a Câmara do Porto se terem desentendido sobre o local onde aquela teria lugar — na Rotunda da Boavista (segundo a APEL) ou nos Aliados (para a Câmara).

publicado por Ler às 21:28
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Maria do Rosário Pedreira em Horas Extraordinárias
19 Maio, 2010

A confirmar aqui.

Tags:
publicado por Ler às 17:20
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Poesia em Vinyl amanhã com José Luís Peixoto
19 Maio, 2010

A tertúlia mensal Poesia em Vinyl regressa amanhã ao restaurante-bar Vinyl, junto à antiga FIL de Lisboa. Convidados: José Luís Peixoto, o pianista Filipe Melo e a actriz Maria João Luís, que lerá poemas do autor de A Casa, a Escuridão. Como habitualmente, o convidado principal escolhe uma entrada e uma sobremesa. Entre as surpresas anunciadas pela organização (de Raquel Marinho e Luís Filipe Cristóvão) está a leitura de poemas inéditos de José Luís Peixoto. Entrada livre, a partir das 21h.

publicado por Ler às 11:16
link do post | comentar | ver comentários (1) | adicionar aos favoritos
Terça-feira, 18 de Maio de 2010
Lobo Antunes, Saramago, Mário Cláudio e Maria Teresa Horta entre os 54 finalistas do Prémio PT de Literatura
18 Maio, 2010

Os 10 finalistas serão divulgados em Agosto e o júri final elege os três livros vencedores a 8 de Novembro. Lista completa aqui.

publicado por Ler às 11:22
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Segunda-feira, 17 de Maio de 2010
Novos livros de João Tordo e Miguel Real na Dom Quixote
17 Maio, 2010

O Bom Inverno, título do novo romance de João Tordo, será editado em Setembro e As Memórias Secretas da Rainha D. Amélia, de Miguel Real, é lançado um mês depois. Já em Junho, chegará às livrarias A Vida Verdadeira, o romance estreia de Vasco Luís Curado, autor de A Casa da Loucura (1999) e O Senhor Ambíguo (2001). Edição Dom Quixote.

Tags:
publicado por Ler às 11:00
link do post | comentar | ver comentários (2) | adicionar aos favoritos
Irmão Lúcia
17 Maio, 2010

O blogue do Pedro Vieira, nosso ilustrador, apenas mudou de morada. Anote bem.

Tags:
publicado por Ler às 10:17
link do post | comentar | adicionar aos favoritos
Posts recentes

Fotografias exemplares, 5...

Editorial || Queimar livr...

Fotografias exemplares, 5...

Editorial || Machado de A...

Fotografias exemplares, 5...

Adaptados à «leitura por ...

Quem não quer um biquíni ...

Senha, password ou palavr...

Editorial || Eric Zemmour...

Informação útil: um ameri...

Assinaturas
Faça já a sua assinatura aqui.

Contacto

Notícias, rumores, invenções e impropérios para ler@circuloleitores.pt

Pesquisar
 
Lido e publicado

1. Os 50 autores mais influentes do século XX.
2. Dez cidades para visitar com livros debaixo do braço.
3. Charles Darwin, 200 anos depois.
4. «O Magalhães é o maior assassino da leitura em Portugal.»
5. Última entrevista de António Barahona.
6. Inéditos de Fernando Pessoa.
7. John Milton por João Pereira Coutinho.
8. «O meu mal é ter uma curiosidade de puta.»
9. Entrevista Luis Sepúlveda.
10. «Já quase pareço um escritor.»
11. Entrevista Eduardo Lourenço.
12. Breve Introdução à Teoria Literária.
13. Agustina, a indomável.
14. Trinta livros do PNL.
15. Entrevista A. M. Pires Cabral.
16. Dinis Machado: «Só quis escrever um livro».
17. Retratos de um Nobel.
18. Os últimos e-mails de Stieg Larsson.
19. Os 200 anos de Edgar Allan Poe.
20. Knoxville, o território de McCarthy.
21. O bibliotecário ambulante.
22. Dez escritores europeus que (já) mereciam ser traduzidos em Portugal.
23. Entrevista Mia Couto.
24. Entrevista Vasco Pulido Valente.
25. Inéditos Vinicius de Moraes.
26. Os heterónimos de Eduardo Lourenço

Ligações
Arquivo

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

blogs SAPO
Subscrever feeds